30 de set de 2015

Sem mais

Amo-te agora no silêncio da noite

Meus lábios não mais  lhe dirão palavras de um amor maior

Os poemas se desbotaram nas prateleiras do tempo

Tempo passado de um amor inconcluso.

Inconcebível  visão escarlate

Que a noite se aconchega em outros braços

Leva de mim essa tristeza

Do absurdo engano fez-se o sonho...

Como que de areia o vento desmanchou e as ondas do mar levou

Vás ! Seja feliz e me abandone aqui

Não mais precisarei me esquivar entre as esquinas lamosas

não mais precisarei repetir o mantra que grita em meus ouvidos

a carne foi fraca e o coração se quebrou.  


19 de set de 2015

Exemplos valem mais que palavras

O Tema  bullying, já foi diversas vezes discutido em verso e prosa. Até já escrevi sobre o ele, em meu blog, nem pensava em voltar ao assunto. Porém, hoje ao ler uma notícia, no Yahoo! fiquei chocada.
Falamos sobre crueldade, massacre, injustiça e tantas atitudes que ferem, não apenas homens e mulheres, mas todas as criaturas de Deus.
Ficamos espantados com tanta barbárie, parece que tais acontecimentos retrocederam e voltamos ao tempo das cavernas, apenas com a diferença das palavras, das armas, da mídia. No tempo das cavernas, no tempo dos duelos, no tempo dos massacres, no tempo das fogueiras, no tempo dos leões e arenas, no tempo da inquisição, enfim... O tempo está de volta ou nem mudou, continua o mesmo,apenas travestido.  Mahatma Gandhi, já dizia: “ A não-violência absoluta é a ausência absoluta de danos provocados a todo o ser vivo. A não-violência, na sua forma activa, é uma boa disposição para tudo o que vive. É o amor na sua perfeição.” 


Voltando ao bullying, o ator Jonny Depp, de 52 anos, contou em uma entrevista, que sofreu muito quando estudava, tinha uns 6 anos, quando resolveu contar  para a sua mãe, o que estava acontecendo com ele, na escola. Sua mãe, o aconselhou a dar uma tijolada no agressor. Sabe que fiquei um tempo pensando em quem era o agressor?
Até parece uma analogia à pena de morte, condena-se à morte, quem matou. Então, Jonny Depp, que tem dois filhos, ensinou-os a se defender como ele aprendeu com a mãe, acertar um tijolo no agressor.
E disse mais:
“-Se eles não destruírem o causador, eu vou.”

Tenho razão de estar assustada, com tal conselho e exemplo de pai aos seus filhos?

6 de set de 2015

O lado mau do homem bom

Final de semana para ser completo tem que vir acompanhado por um bom filme, e neste sábado, não foi diferente, a nova versão que narra a história da arca de Noé, foi o escolhido.
Um filme repleto de reflexões, mensagens já nossas conhecidas, através da Bíblia.O filme, nos mostra  cenas fantasiosas, mas que se  encaixam com a mensagem profunda que ele nos  traz. Em um determinado ponto, Noé relembra o momento da criação do mundo, tudo tão minucioso, perfeito, tudo em seu lugar, até a criação do homem e da mulher, quando eles sucumbem à tentação, comem o fruto proibido e são expulsos do paraíso, neste momento é despertado o lado sanguinário, traiçoeiro e menos humano do ser. Depois 
disso, a perfeição deixou de existir... e será necessário recomeçar a vida novamente, para limpar o mundo de tanta podridão causada pelo homem. Aí, vem à mente, a cena daquele pequeno, morto, na praia. O menino sírio, de três anos, que escapava , das guerras, junto com os pais e o irmão de cinco anos. Eles só queriam uma vida digna, um lugar para viver, e não sobreviver, que pudessem acordar, levar os filhos à escola e trabalhar, e que, no final do dia, houvesse o reencontro de  todos em volta da mesa com momentos simples em família, como colocar seus rebentos para dormir, contando-lhes uma história e que, no dia seguinte, houvesse o recomeço de tudo e com toda a família. Assim como é para a maioria das famílias, pergunto :- Por que não para todas ? Como o homem chegou a este ponto ? Como ele se deixou levar pelo poder, pelo capitalismo de uma forma tão voraz, pois nem sabe mais, o que é estender a mão para o próximo e permitir-lhe a vida ? Em meio disso tudo,  há pessoas que ainda guardam um bom pedaço de si para fazer o bem. Mas o mal torna-se, a cada dia, mais forte e adentra até mesmo em lugares santificados. Pessoas boas, travam lutas constantes para dizimar o mal e plantar o bem, porém, o número parece ínfimo diante do que vemos noticiados todos os dias, nas mídias. Fomos criados com livre arbítrio, mas penso que se aproxima o momento em que, por não respeitarmos mais nada, por não sermos gratos e causarmos tantos danos à natureza e ao próximo, a arca será mesmo necessária.

O valor das pessoas

Nessas andanças pela vida, ouvimos, lemos e falamos sobre muitas coisas... Após o lançamento de um livro, cujo título mexeu  com minha ca...